09 dezembro 2005

por que sou assim

meu corpo é inseguro
minhas emoções facilmente se desmancham
por trás dessa casca espessa
um ser despido

meus sentimentos se escondem da face
mas tu os percebes porque também és poeta
poucos percebem a minha beleza
pensam que sensibilidade é a minha fraqueza

posso ser discreta
as vezes
como também posso ser exposta

posso ser concreta
nem sempre
pois sinto-me mais livre na abstração

meus riscos no papel trazem meu cheiro
tu os reconheces mas não te encantas
eu me perturbo com pequenos defeitos
tu me percebes mas não te espantas
não sei te encantar
sei te esperar
esperar

5 comentários:

Ingrid disse...

De todos os demais poemas, penso que esse é o que melhor traduz vc. Fiquei feliz em ve-lo assim de primeira mão.

Ingrid disse...

Acho que ja estou cansada, ja são 4:11 da madrugada, mas não poderia deixar de comentar duas coisas, o meu "todos os demais" foi péssimo e o seu "não sei te encantar" .........(pensando) não é bem assim, concorda?

pedropaulo disse...

Caracas... que doido... viagem. Gostei!

Taty disse...

uou...
forte profundo e mto bom liz

Pedro Paulo disse...

Como não encantas?
É totalmente impossível vê-la passando despercebida... é como não se notar as mudanças de estações, sempre ocorrem mas nunca passam despercebidas, não cansam, pelo contrário, encantam, não se repetem, renovam-se.