28 novembro 2005

“Espírito do trino Deus opera em nós”

não sou uma pessoa de vida sofrida
nunca senti na pele a dor gemida
o medo desolado
a agonia intensa
o desespero denso
a fome amarga
ou a perda próxima demais

por vezes concluo que isso é agradável
outras questiono se isso não faz de mim
uma pessoa que não sabe consolar
os que choram
então choro por querer saber
mas na prática
e de fato
nunca poderia entender

entretanto poderia eu negar que
Aquele que me guarda de tropeçar
é quem tem me desviado da aflição?
e que Aquele que me livra
também me direciona a sentir compaixão?

mesmo sem compreender completamente
Este mesmo que ao frágil consola
enche-me do Espírito consolador
posso transpirar mesmo em minha alegria
em minha sinfonia inocente
virgem da aflição
casta da dor
o consolo de Cristo meu Senhor

4 comentários:

Pedro Paulo disse...

Profundo... faz-me lembrar de como Deus me cerca, e ao mesmo tempo de como Ele me expõe... lembro-me então: Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus.

Paulo Sacramento disse...

Estaile demais Liz! :-D

Ingrid disse...

A Soberania de Deus é algo que nunca estará ao nosso alcance, mas aceita-la é o nosso dever. A certeza que Ele age em todos de modo diferente tem que ser viva em nós, desfrutamos de Seus ensinamentos conforme a Tua vontade. Gostei muito do poema.

Pedro Paulo disse...

Salmos, canções, lamentações
Aflições, dor, compaixão, tristeza Consolo, certeza, esperança, vida, eternidade, segurança, conforto... obra do Pai.
Só Ele pode explicar,
cabe a nós, ao seu lado estar,
para enfim, sua voz ouvir,
e como doce será, então seguir, segurando a mão, de Papai.