07 novembro 2006

a morte do meu melhor amigo


“Não estou aqui para lamentar a morte de um jovem de 23 anos que sofreu por ter câncer; nem para lamentar a morte de um estudante de agronomia ou de um diácono da nossa igreja, não estou aqui para lamentar a morte de um estranho, estou aqui para lamentar a morte do meu irmão. E eu lamento a morte do Lelê. Pra quem não sabe, o Lelê era o meu melhor amigo e eu o amava."

É muito difícil perder um amigo.
É muito difícil.
Uma dor que sinto nas juntas.
Um lamento que não tem consolo nem solução.
Um lamento profundo e impotente.
Eu não posso mais dizer que “nunca senti na pele a dor gemida” porque escrevo entre gemidos, entre fôlegos pesados.
Eis “uma perda próxima demais”.
Um lamento insistente e eu sei que permanecerá por muito tempo ainda.

Queria registrar algumas cenas marcantes:
- Ver os amigos carregando o caixão
- Ver a igreja tão cheia, quando os jovens foram à frente para cantar não couberam e encheram os corredores laterais do templo
- Conseguir falar segurando o choro
- Ouvir a Jamille e o Daniel falarem
- Jony – “se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos”
- “se paz a mais doce me deres gozar, se dor a mais forte sofrer...”
- assistir o pedreiro fechar o túmulo
- voltar pra casa no carro em silencio

Temos que fazer valer a pena!
Eu tenho que fazer valer a pena.

O que mais me consola? - Perceber no choro e na expressão de alguns amigos a mesma tristeza que eu sinto. - Lembrar das nossas conversas.. “liz.. é muito bom que você veio aqui sabia?” ..” liz, dá pra você passar aqui na sexta a tarde?”, “aqui, lê aquele texto lá de novo.. “ (2Cor4...) ... “esse câncer não é para a morte, mas para a glória de Deus” ...

7 comentários:

http://fabiogn.blogspot.com/ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
http://fabiogn.blogspot.com/ disse...

Paz!

BIANCH, Gustavo. disse...

e as imagens por vc citadas ainda estao pulsando em meu coração.

Renato Luiz disse...

Entre choro e dor...
Eu tenho paz...
Paradoxo de um amor bem vivido...

O Lelê sempre falava de vc, Liz...
Por isso eu tinha muita vontade de te conhecer...
Na dor fomos unidos, mas...
"Os que plantam sementes entre lágrimas ceifarão alegrias..."
A amizade de vcs já me fez questionar as minhas amizades...
Tô aprendendo muito com tudo isso!
Obrigado por se entregar às pessoas como vc se entregou ao Lelê...
Aposto que sua dor não é maior do que a alegria de ter conhecido bem a humanidade do Lelê!
Isso não tem preço...
Isso é amor verdadeiro...
Meus sinceros sentimentos para a melhor amiga do Lelê!
Ele também te considerava assim...
Sei que estou muito "verde" na convivência com vcs...
Mas já posso afirmar com toda certeza: Já fazem parte da minha vida!
Deus te dê forças pra continuar anunciando a vida através do seu jeito original e lindo de ser!
Forte e silencioso abraço...

Lucas Rolim disse...

"Que a paz de Deus que excede todo entendimento, encha o seu coração."
Bjus amiga. Te amo.

Ivny disse...

melhor que ninguém vc o retrata...
profundidade
pessoalidade...
retratos de uma vida intensa e imensa...
tbm amo vc o pradoxo de sentimentos pais poético que conheço....

Ivny disse...

bem... o que a digitação errada não permitiu tornar compreensível é o seguinte:

"Tbm amo vc, vc é o paradoxo de sentimentos mais poético que conheço"