06 agosto 2008

Dia

Acordo.
A tarde não tarda,
O dia não finda,
A noite não passa,
Mas o tempo escorre por mim..

Como.
A fome não pára,
O sabor não aguça,
A saliva não deixa,
Mas o alimento fortalece meus membros..

Canto.
A ansiedade não aquieta,
O medo não morre,
A tristeza não esmorece,
Mas a paz enche-me de satisfação..

Penso.
A verdade não cala..
A verdade não cala.
Aleluia! A verdade não cala!
Vence o restante do dia.

2 comentários:

Alberto Vieira disse...

Oi Liz!

Achei demais como construiu este poema!!

A verdade não cala! Q massa!

lucas rolim menezes disse...

bati
:)